Depilação a laser, limpeza de pele, radiofrequência… Afinal, o que pode e o que não pode ser feito durante a gestação?

Dizem que a gravidez deixa a mulher mais bonita e com um brilho na pele todo especial. Ainda assim, algumas mulheres não abrem mão da vaidade durante a gestação, e ficam em dúvida sobre quais tratamentos estéticos podem realizar sem prejudicar a saúde do bebê.

Depilação a laser, limpeza de pele, radiofrequência… Afinal, o que pode e o que não pode ser feito?

A básica limpeza de pele está liberada. Mas o mesmo não se pode dizer sobre os peelings: Os peelings estão todos suspensos, somente o Peeling de Cristal ou de diamante é indicado. Isso porque o são peeling de microdermoabrasão com grãos de cristais que esfoliam a pele.

Já quando falamos sobre procedimentos estéticos para o corpo, o aconselhável é realizá-los apenas no pós-parto. Tratamentos como radiofrequência para gordura localizada, depilação a laser, procedimentos com luz pulsada, laser fracionado e qualquer outro tipo de tratamento anticelulite, contra estrias ou cicatrizes estão descartados durante a gestação.

E Drenagem linfática manual pode?

Durante a gravidez, o corpo está mais vascularizado e retendo mais líquido. Por isso, a drenagem – é indicada. Como em qualquer tratamento durante a gestação, é recomendado esperar o primeiro trimestre passar.

Atenção aos cremes e produtos de beleza. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) contraindica o uso de três substâncias na gravidez: chumbo, cânfora e ureia acima de 3%, as quais podem ser facilmente encontradas em diversos produtos, como cremes, colorações e hidratantes.

Graduada em Fisioterapia pela Univali – Universidade do Vale do Itajaí-SC (2004). Pós Graduação “Lato Sensu”- Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES de Curitiba-PR  (2009). Graduanda em Biomedicina – Uniavan Balneário Camboriú – SC (2019).

 

DRENAGEM LINFÁTICA NA GESTAÇÃO

No decorrer da vida da mulher, ocorrem diversas alterações fisiológicas em todos os sistemas do corpo, entretanto as maiores acontecem especialmente durante a gestação, onde organismo feminino sofre extensas adaptações para acomodar o feto, elas são detectadas nos sistemas reprodutor, endócrino, renal, cardiovascular, respiratório, gastrointestinal, dermatológico e musculoesquelético. A drenagem linfática a partir do terceiro mês de gestação é extremamente indicada, a técnica é suave, com movimentos rítmicos, sem muita pressão e traz muitos benefícios, como:

 

  • Aumento do fluxo sanguíneo e linfático diminuindo o inchaço (edema) além de estimular a lactação e a dessensibilização das mamas, preparando – as para a amamentação;
  • Mantém a pele hidratada pela eliminação de toxinas e por ativar sistemas de hidratação celular;
  • Alívio na tensão muscular, diminuindo as dores e a sensação de cansaço nos membros inferiores;
  • Estimula a produção de linfócitos, aumentando a imunidade do organismo.

 

Além de todos os benefícios citados acima, a técnica ainda ajuda a relaxar e diminuir o stress. A massagem aliada à uma alimentação e estilo de vida saudável, com certeza trará uma gestação tranquila, mas ao contrario do que se pensa, a técnica não deve ser realizada somente durante a gestação, mas também no pós-parto, ajudando na eliminação de toxinas, edemas e trazendo a sensação de bem-estar.

Segundo BORGES, (2006 apud EMRICH, 2013), não é recomendada a utilização de nenhuma técnica de drenagem linfática manual na região abdominal da gestante, pois as manobras podem estimular contrações uterinas, podendo levar a um aborto espontâneo. É preciso atenção com relação ao número de vezes que está sendo aplicada a técnica, sendo recomendado de duas a três sessões semanais, para não sobrecarregar o sistema linfático da gestante. Vale ressaltar que assim como outras técnicas a DLM (Drenagem Linfática Manual) tem contra-indicações, em casos de tumores malignos, tuberculose, infecções agudas, reações alérgicas, edemas sistemáticos de origem cardíaca e renal ou contra-indicações relativas a hipertireoidismo, asma, bronquite, flebite e trombose venosa profunda, a técnica não deve ser aplicada.

Sendo assim, o objetivo constitui em demonstrar através da utilização e aplicabilidade da drenagem linfática manual em gestantes, observando as alterações funcionais, os cuidados, as contra-indicações e os benefícios da drenagem linfática manual em gestantes.

Lucimara Dos Santos- Esteticista e Massoterapeuta do Centro de Saúde e Estética Elegance.