Colágeno hidrolisado funciona?


O sucesso do colágeno hidrolisado não é de hoje. A preocupação com a qualidade de vida tem levado o consumidor a procurar e consumir produtos saudáveis, que possam melhorar as condições de saúde e promover o bem-estar. O colágeno era encontrada apenas em cápsula, sachê ou bala manipulada. Agora podemos achar nas prateleiras dos supermercados e farmácias, na forma de bombons, balas, água aromatizada, barrinha de cereais e até granola. .

O colágeno é encontrado nos tecidos conjuntivos do corpo, tais como os ossos, tendões, cartilagens, veias, pele, dentes, bem como nos músculos e na camada córnea dos olhos. Porém, com o início da fase adulta, a deficiência de colágeno começa a ser notada, pois o organismo diminui sua produção.

Pesquisas sobre a relação entre o envelhecimento da pele e a produção de colágeno têm aumentado nos últimos anos.

São comprovados clinicamente que os tratamentos antienvelhecimento, com ácido retinoico, laser, CO2 , microagulhamento, laser ndyag, laser ERBIUM, injeção intradérmica de ácido hialurônico, estimulam a produção de novo colágeno não fragmentado. Esses tratamentos promovem o equilíbrio entre a produção de colágeno e a ação das enzimas que o degradam, retardando o processo de envelhecimento e, consequentemente, melhoram a aparência e a saúde da pele.

E tomar colágeno hidrolisado funciona?

Os resultados das pesquisas de Zague et al. indicaram que a ingestão de colágeno hidrolisado pode aumentar a produção de colágeno pelos fibroblastos e retardar o envelhecimento da pele, reduzindo as mudanças relacionadas à matriz extracelular durante o envelhecimento por estimular o processo anabólico na pele. Os autores mostraram o potencial uso do colágeno hidrolisado como um complemento nutricional para prevenir a perda óssea.

Dra Raquel Vale. Graduada em Fisioterapia pela UNIVALI – Universidade do Vale do Itajaí, (2004). Pós-graduada em Fisioterapia Dermato Funcional, CBES , Curitiba(2010). Graduanda em Biomedicina- Uniavan- Balneário Camboriu 2019.

Referência Bibliográfica

Fisher GJ, Varani J, Voorhees JJ. Looking older: fibroblast collapse and therapeutic implications. Arch Dermatol Res. 2008;144(5):666-72.

Zague V, Freitas V, Rosa MC, Castro GA, Jaeger RG, MachadoSantelli GM. Collagen hydrolysate intake increases skin collagen expression and suppresses matrix metalloproteinase 2 activity. J Med Food. 2011;14(6):618-24

Souza AB, Oliveira NCP, Garcia T, Moreira AVBM. Desenvolvimento e análise sensorial de uma sobremesa à base de colágeno hidrolisado e soja. XIX Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia de Alimentos; setembro de 2004; Recife: Anais.

Nunes A, Neto C, Souza M, Feliciano R, Formigoni MLM, Isausti EO. Processamento de mortadela de filé de Tilápia com fibras de colágeno. Rev Eletrônica Educ Tecnol. 2011;5(10):1-25.

ADORO FEIJÃO, MAS ELE ME DÁ GASES… E AGORA?

 

Que os feijão além de deliciosos são os causadores de gases em alguns indivíduos nós já sabemos, mas porque isso ocorre?

Além de conter vitaminas, minerais, carboidratos e serem uma ótima fonte de proteína vegetal os feijões contém também fatores chamados de anti-nutricionais, são eles: taninos, fitatos e inibidores da tripsina e lecitinas que diminuem a absorção de minerais como ferro, cálcio e zinco além de alterar a digestibilidade das proteínas dos feijões. Ele contém um oligossacarídeo chamado Rafinose que é o causador de flatulência na maioria dos consumidores e acaba por impossibilitar o consumo dos mesmos.

Para diminuir a proporção desses fatores anti-nutricionais a dica é:

*Usar 3 medidas de água para cada medida de feijão;

*Deixá-los de molho por pelo menos 16 horas, sempre trocando a água (Principalmente enquanto ainda formar aquela espuminha na parte superior do líquido);

*Não realizar a cocção do grão na água do molho, descartá-la e utilizar água limpa.

Estudos comprovam (OLIVEIRA.Costa, 2001) que após esses procedimentos, quando o grão é submetido à pressão por 40 minutos os fatores anti-nutricionais diminuem drasticamente.

Teste e nos conte, se assim como a maioria dos consumidores seus desconfortos também diminuíram, queremos saber! 

Dra. Samanta do Canto- Nutricionista Especialista em Gestão em Gastronomia

As infinitas relações da alimentação com problemas de saúde na atualidade.

É inegável as associações entre a alimentação, atividade física e bons hábitos para uma vida saudável e plena! Diversos estudos comprovam os benefícios de boas escolhas e medidas rotineiras para diminuir os impactos das possíveis doenças que podem afetar a saúde humana.

Ainda esse ano, uma renomada Universidade Canadense publicou um artigo em seu periódico que avalia os dez principais fatores de risco que podem levar ao entupimento de artérias e ao Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Hoje essa patologia acomete milhares de indivíduos ao redor do mundo, com taxas de acometimento diferentes entre os países, porém em escala Global.

Foram estudadas e reunidas informações de 26 mil pessoas em 32 nações diferentes e traçados parâmetros que poderiam ter levado essas pessoas à desenvolverem a doença de acordo com cada localidade. Os fatores que são responsáveis por desencadear a doença também variam conforme o pais e cultura, porém os dez principais aparecem em todas as amostras de maneira mais relevante.

A primeira conclusão que se obteve, foi que se cuidados fossem tomados afim de se evitar os dez principais fatores de risco nos hábitos das populações, os casos reduziriam em até 90%. E no Brasil, é como salvar a cada 12 meses um número de pessoas similar a população que ocupa a cidade de Florianópolis, deixando claro, por ano.

Dentre as dez medidas de controle citadas, muitas delas se relacionam com a qualidade da alimentação.

1: Hipertensão: Ajustar a pressão arterial é a primeira medida para diminuição dos AVC´s. O controle dessa patologia está diretamente ligada a diminuição da quantidade de sódio ingerido pelo indivíduo e escolha de alimentos mais saudáveis e menos industrializados.

2: Sedentarismo: Aliada à alimentação é um fator importantíssimo para o controle da patologia. Além de contribuir para a redução ou manutenção do peso corpóreo, as atividades físicas regulares liberam substâncias que evitam a formação de placas e promovem o relaxamento e contração correta dos vasos sanguíneos evitando o entupimento dos mesmos.

3: Colesterol Alto: Outro fator diretamente ligado a alimentação, mesmo quando a elevação é causada por fatores genéticos.

É necessário controlar as taxas de colesterol para diminuir os riscos de AVC ou Infarto Agudo do Miocárdio. Preferir gorduras de boas fontes, como oleoginosas é uma boa alternativa, assim como dar preferência a carnes magras e diminuir as quantidades de embutidos.

4: Dieta Ruim: Alguns alimentos agem diretamento nas artérias e diminuem os riscos de entupimento e AVC´s, em contrapartida a dieta básica da maioria das populações hoje está incrivelmente pobre em nutrientes, necessitando de escolhas mais naturais e saudáveis.

É ideal consumir boas fontes de omega 3 ou suplementá-lo pois eles diminuem os processos inflamatórios dos vasos sanguíneos e podem até favorecer, em alguns casos, a diminuição da pressão arterial. Essas análises de necessidade devem ser feitas por profissional responsável da área, que saberá indicar o melhor maneira de ingestão desse nutriente, dependendo de características individuais de cada um.

5: Obesidade: Hoje considerada uma patologia e não mais um quadro clínico, a obesidade esta relacionada com o aparecimento de várias doenças da atualidade, como hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia e triglicirídeos aumentados, entre outras…

No organismo temos diferentes tipos de gorduras que se acumulam em locais diferentes no nosso corpo. Devemos sempre ficar mais atentos aquela gordura que se acumula na região da barriga, em torno da região umbilical.

Os outros fatores de risco seguem na sequência de prevalência entre os indivíduos, como sendo Estresse, tabagismo, Doenças cardíacas, alcoolismo e Diabetes, relacionadas ao meio onde vivem e escolhas e hábitos que mesmo considerados errôneos e prejudiciais ainda permanecem até os dias atuais.

Analisando os dados do estudo citado, fica óbvio dizer que levar uma vida mais saudável com relação as escolhas alimentares, realizar exercícios físicos regulares e fazer acompanhamento médico para realização de exames periódicos é a melhor forma de evitar a incidência de AVC´s e outras patologias correlacionadas, resultando em uma vida plena e longínqua.

Dra Samanta do Canto- Nutricionista graduada pela Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL, Especialista em Gestão em Gastronomia

 

Vamos falar de Chás!!!

Os chás são bebidas com inúmeros benefícios para saúde humana e auxiliam em uma série de processos no organismo. Os benefícios variam conforme as ervas, especiarias, raízes ou cascas usadas, e podem ajudar atuando como anti-inflamatórios, termogênicos, diuréticos e até calmantes.
O ideal é não misturar mais de 3 ervas para que uma não altere os benefícios e o mecanismo de ação das outras.
Quando aliado a uma alimentação adequada e hábitos de vida saudáveis podem contribuir consideravelmente para redução do peso corpóreo.

Para o emagrecimento é indicado o uso de ervas com poder termogênico, que estimulam a queima de gordura e calorias. O chá de hibisco é uma ótima opção, assim como o chás branco, verde e vermelho (Todos da planta Camellia sinensis).

Para aumentar o poder termogênico do hibisco, suas folhas podem ser fervidas com ramas de canela.

A quantidade máxima diária recomendada é 1 litro de chá, fracionados em porções de 200ml, para não correr o risco de reduzir a pressão sanguínea. Podem ser armazenados em garrafas térmicas após o preparo ou se preferir armazenar na geladeira o recipiente deve ser de vidro ou cerãmica.O chá não deve ser reaquecido, pois aumentam as chances de perder as propriedades de seus fitoquímicos.

Ele pode durar até 24 horas, porém o ideal é consumi-lo em 12 horas para aproveitar todas as propriedades terapêuticas que possue.

No preparo do seu chá, prefira ervas secas ou frescas. Desligue a água um pouco antes de iniciar a fervura e coloque as ervas na água quente. Deixe-o abafado por 5 minutos e depois armazene-o. Se o chá for preparado com folhas com caule, raízes, como é o caso do gengibre, ou cascas, o ideal é colocá-los em água fria e ferver por 10 minutos, desligar e depois mantê-los abafados por mais 5 minutos antes de beber.

Para 500 ml de água utilize 2 colheres de ervas ou mix de ervas.

Lembrando que o ideal é não adicionar nenhum tipo de açúcar para não diminuir a ação dos fitoquímicos que os chás possuem e que são responsáveis pelas suas ações benéficas, assim como também não é recomendado o uso de adoçantes artificiais e principalmente o leite, pois o cálcio pode anular os efeitos do chás.

Outra observação importante é que alguns chás estimulantes não são indicados para pessoas hipertensas ou que se medicam com psicotrópicos, como é o caso do hibisco, chá verde, preto, entre outros e também não é ideal administrá-los após as 18:00 horas para não afetar os mecanismos do processo de sono.

DRA SAMANTA CANTO- NUTRICIONISTA GRADUADA PELA UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA UNISUL.