Depilação a laser, limpeza de pele, radiofrequência… Afinal, o que pode e o que não pode ser feito durante a gestação?

Dizem que a gravidez deixa a mulher mais bonita e com um brilho na pele todo especial. Ainda assim, algumas mulheres não abrem mão da vaidade durante a gestação, e ficam em dúvida sobre quais tratamentos estéticos podem realizar sem prejudicar a saúde do bebê.

Depilação a laser, limpeza de pele, radiofrequência… Afinal, o que pode e o que não pode ser feito?

A básica limpeza de pele está liberada. Mas o mesmo não se pode dizer sobre os peelings: Os peelings estão todos suspensos, somente o Peeling de Cristal ou de diamante é indicado. Isso porque o são peeling de microdermoabrasão com grãos de cristais que esfoliam a pele.

Já quando falamos sobre procedimentos estéticos para o corpo, o aconselhável é realizá-los apenas no pós-parto. Tratamentos como radiofrequência para gordura localizada, depilação a laser, procedimentos com luz pulsada, laser fracionado e qualquer outro tipo de tratamento anticelulite, contra estrias ou cicatrizes estão descartados durante a gestação.

E Drenagem linfática manual pode?

Durante a gravidez, o corpo está mais vascularizado e retendo mais líquido. Por isso, a drenagem – é indicada. Como em qualquer tratamento durante a gestação, é recomendado esperar o primeiro trimestre passar.

Atenção aos cremes e produtos de beleza. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) contraindica o uso de três substâncias na gravidez: chumbo, cânfora e ureia acima de 3%, as quais podem ser facilmente encontradas em diversos produtos, como cremes, colorações e hidratantes.

Graduada em Fisioterapia pela Univali – Universidade do Vale do Itajaí-SC (2004). Pós Graduação “Lato Sensu”- Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES de Curitiba-PR  (2009). Graduanda em Biomedicina – Uniavan Balneário Camboriú – SC (2019).

 

The Ordinary

Se tem uma coisa que aprendi durante esses 15 anos trabalhando e pesquisando sobre beleza, é que nem todo produto caro é melhor, e nem todo produto barato é o pior! 💵💰⁣

Muitas marcas de cosméticos surgem a todo momento no mercado- e isso é ótimo!👍🏻 🧪🦠⁣

Mas nestes dois últimos anos a marca que mais se destacou neste ramo , foi a The Ordinary, por aliar tecnologia, preços baixos e qualidade! 🧴🧼⁣

Os produtos viraram curiosidade e desejo de todo mundo!🌎🌍🌏⁣

A linha faz parte do grupo canadense Deciem e oferece uma série de séruns e outros produtos com fórmulas que levam apenas o ingrediente ativo e o que mais for necessário para transportá-lo para a pele.😱😱⁣


📍Alguns dos meus escolhidos : ⁣

▶Glycolic Acid 7% Toning Solution – Tônico que tem efeito esfoliante, promovendo melhora na textura da pele, reduzindo oleosidade e ainda tem efeito clareador!⁣

▶AHA 30% + BHA 2% Peeling Solution – esse é um peeling, esfoliante químico, que deve ser usado com cautela e esporadiacamente . Tem 30% de alfa-hidroxiácidos , oferecendo uma esfoliação profunda que clareia manchas , melhora a textura da pele e também reduz a aparência das linhas finas com o uso continuado.⁣

▶”Buffet” + Copper Peptides 1% – enquanto praticamente todos os produtos da The Ordinary são ingredientes únicos, o Buffet é um sérum com fórmula variada, que combina um conjunto abrangente de tecnologias estudadas para atingir múltiplos sinais de envelhecimento de uma só vez.⁣


▶Caffeine ☕Solution 5% + EGCG- sérum com concentração extremamente elevada de cafeína e EGCG (um potente polifenol encontrado no chá verde) para fornecer uma poderosa mistura de antioxidantes e anti-inflamatórios à delicada área dos olhos.🐼⁣

▶Vitamina C 10% é um antioxidante que reduz os sinais de envelhecimento, manchas, hidrata e da uma aparência saudável e iluminada na pele

Dra Raquel Vale- Graduada em Fisioterapia pela Univali SC (2004). Pós Graduação “Lato Sensu”- Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES de Curitiba-PR  (2009).Graduanda em Biomedicina – Uniavan Balneário Camboriú – SC (2019).

Melasma : novidades e desafios! Congresso Internacional da Academia Americana de Dermatologia- 2017

O melasma é um desafio diário não só para quem tem, mas também para os profissionais que lidam com ele.  Esse tema extremamente complexo, foi muito citado no Congresso Internacional da Academia Americana de Dermatologia em março de 2017. A causa do melasma não está definida, mas com certeza há várias influências, como a  radiação ultravioleta,  predisposição genética,  alterações  hormonais ( gravidez, anticoncepcional)  e  o excesso de vascularização (causa recentemente descoberta).

Com relação aos tratamentos , o uso do ácido tranexâmico continua sendo um dos melhores, devido à sua eficácia, durabilidade e diversas formas de utilização, mesoterapia, o microagulhamento , o laser fracionado de baixa potência e a luz pulsada (que tratam as alterações vasculares).

O ácido tranexâmico  se apresenta em forma de creme, injetável e de uso oral.  Bloqueia estímulos que fazem com que o  melanócito produza mais pigmento, reduzindo respostas inflamatórias cutâneas causadas pela proteína plasmina. Com isso, contribui também para que o tom das manchas existentes não fique mais escuro.

Além disso, começa a se dar muita importância a barreira cutânea, que  é  uma espécie de camada protetora, com a função de  impedir  a penetração de agentes externos na pele. Dessa forma, essa camada retém diversas substâncias nocivas às quais a pele é diariamente exposta. Então, deve-se impedir situações que provoque ressecamento, coceira, vermelhidão e irritação da pele; pois todas essas alterações podem prejudicar o equilíbrio dessa barreira e provocar uma inflamação na pele.

Portanto, prevenção é sempre a melhor forma de evitar o melasma ou, pelo menos, retardar o seu aparecimento!

18361280_10155277921002436_538502726_n (2)

Dra. Raquel Vale Gomes de Carvalho (Fisioterapeuta Dermato Funcional; Crefito:74485-F)

Responsável Técnica do Centro de Saúde e Estética Elegance