Você sabia que o celular pode danificar sua pele?

Você sabia que o celular pode danificar sua pele?

#Manchas
Quem nunca teve uma longa conversa e ao desligar o telefone sentiu suas bochechas queimando. Então, o calor excessivo pode alterar a sua produção de melanina, causando melasma na na sua pele.

#Rugas
Ficar olhando muito tempo pra baixo é uma posição que pode gerar rugas embaixo do queixo e no pescoço.

#Alergia
Estudos recentes revelam que o cromo e o níquel contidos nas capas dos celulares podem causar dermatite(principalmente coceira e vermelhidão).

#Acne
Você sabia que o celular tem mais bactérias do que um vaso sanitário? Pois é, agora adicione a isso o suor e a maquiagem. Toda essa sujeira pode acabar gerando muuuitos cravos e espinhas.

Dra Raquel Vale-Graduada em Fisioterapia pela Univali – Universidade do Vale do Itajaí-SC (2004). Pós Graduação “Lato Sensu”- Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES de Curitiba-PR  (2009). Graduanda em Biomedicina – Uniavan Balneário Camboriú – SC (2019)

Melasma e o chamado bronzeamento a distância!

Melasma são manchas acastanhadas, de contornos irregulares, mas limites nítidos. Acomete áreas expostas ao sol, geralmente a face e é mais frequente entre mulheres adultas (30 a 55 anos). Sua causa não é totalmente compreendida apesar de alguns fatores de risco serem conhecidos, como história familiar, exposição solar, gravidez, hormônios sexuais, cosméticos e medicamentos fotossensibilizantes.

Na pele, os melanócitos estão presentes na epiderme e são responsáveis pela pigmentação da pele e dos pelos, contribuindo para a tonalidade cutânea, conferindo proteção direta aos danos causados pela radiação ultra violeta assim como são responsáveis pela produção de um pigmento conhecido como melanina. A melanina é o principal pigmento biológico envolvido na pigmentação cutânea, sendo determinante das diferenças na coloração da pele.

Nessa época, quando acaba o verão é comum os pacientes retornarem ao consultório, relatando piora ou recidiva do Melasma. Na maioria das vezes realizaram as atitudes preventivas como utilizar protetor na região da face com cor e FPS correto, usarem boné, hidratante, entre outras. Mas bronzearam o corpo! Um dos motivos do melasma ter piorado ou voltado, é que a radiação solar,  aumenta a produção de um hormônio chamado MSH (hormônio estimulante dos melanócitos) , que estimula o melanócito a produzir melanina e ocorre a pigmentação da pele. Mas como o hormônio MSH cai na corrente sanguínea ele pode atingir os melanócitos das áreas que não pegaram sol (bronzeamento a distância), estimulando-os a produzir mais melanina, principalmente nas áreas de melasma.

Em 2016, a revista SUPERINTERESSANTE, publicou uma matéria, chamada o bronzeador Injetável onde um laboratório criou a versão sintética do MSH vendida apenas para o tratamento das vítimas de porfiriado (doença de base genética que provoca hipersensibilidade ao sol).  A injeção é aplicada na região do quadril (área escolhida por conter mais gordura, o que torna a picada menos dolorosa) e o princípio ativo do remédio começa a agir. Após 48 horas, a pele de todo o corpo já está visivelmente escurecida, num efeito que dura dois meses. Sendo que os pacientes não pegaram sol para estimular o melanócito, apenas utilizaram a versão sintética do hormônio, que estimulou o melanócito a produzir melanina, “bronzeando a pele”.

Quem tem melasma precisa compreender que sua pele é extremamente sensível à luz. Que o melasma ainda é uma patologia que não foi totalmente esclarecida. Por isso, o melhor a fazer é  protejer-se diariamente contra a luz solar  e visível. Faça chuva ou faça sol, dentro ou fora de casa. A proteção deve continuar mesmo depois que a hiperpigmentação for tratado (a mancha clareada). E não esqueça que a proteção não deve ser apenas na região afetada, por causa do efeito de bronzeamento a distância. Se você relaxar depois que a pele clarear, a mancha pode voltar!

Dra Raquel Vale- Fisioterapeuta Dermato Funcional, responsável técnica do Centro de Saúde e Estética Elegance.

Referências:

Luciane Donida Bartoli Miot; Hélio Amante Miot; Márcia Guimarães da Silva; Mariângela Esther Alencar Marques. Fisiopatologia do melasma. An. Bras. Dermatol. vol.84 no.6 Rio de Janeiro Nov./Dec. 2009

Jimbow K, Quevedo Jr WC, Fitzpatrick TB et al. Biology of Melanocytes. In: Fitzpatrick TB, Eisen AZ, Wolff K, Freedberg IM, Austen KF. Dermatology in General Medicine. v. 1. New York: Mcgraw-Hill; 1999. p.192-220.

O bronzeador injetável; revista superinteressante.31 out 2016, 18h49 – Publicado em 27 mar 2012, 22h00

O que é o Peeling Black Peel a Laser ?

Um dos tratamentos de pele queridinho das celebridades é no momento o Laser Black Peel, uma associação do laser ND YAG- QS com a máscara de carbono ativado. Técnica não invasiva indicada para quem busca uma pele viçosa , bem cuidada e com aparência Saudável. Conhecido como peeling da hora do almoço (#lunchtimepeel), pois não lesiona a pele e você pode voltar imediatamente a rotina. 

O carvão ativado é um tipo exclusivo de carvão gerado a partir da queima de certas madeiras ou cascas de coco, a altas temperaturas (800 a 1000 °C). A  Máscara de Carvão é utilizada, pois devido ao seu pigmento escuro provoca uma maior atração de energia do laser,  potencializando os resultados.

O Laser NDYAG-QS é chamado de laser toning, por atuar diretamente na estimulação de colágeno de forma segura e eficaz. Destinando-se ao tratamento de rugas finas, redução de poros e oleosidade. Promove rejuvenescimento em todos os tipos de pele, inclusive peles mais escuras.

Também é indicado para o tratamento do melasma resistente aos tratamentos convencionais.

Dra Raquel Vale- Fisioterapeuta Dermato Funcional e Responsável Técnica do Centro de Saúde e Estética Elegance.

 

 

É POSSÍVEL CONTROLAR O MELASMA NO VERÃO?

Já discutimos aqui no blog a respeito das vantagens do ácido tranexâmico no tratamento do melasma. O Ácido tranexâmico injetável é uma ótima alternativa de tratamento e pode ser realizado no verão! Pois, o melasma é uma questão de suma importância, necessita de intervenção em tempo integral. Geralmente recorrente, não tem cura, mas pode regredir e ser contido.

Mas afinal, o que é o ácido tranexâmico? Estamos falando de um ativo já bem conceituado no tratamento do melasma que opera como um inibidor da plasmina atuando como agente anti-fibrinolítico bloqueando indiretamente o desenvolvimento do melanócito.

O que é o melanócito? É uma célula complexa,  localizada entre a primeira e a segunda camada da pele, especializada na produção de melanina, um pigmento de coloração marrom-escura. Muito sensível, o melanócito reage formando mais pigmento por qualquer stress ou instabilidade no local.

Como é realizado o procedimento? Aplicado de forma injetável apenas sobre as manchas do melasma, como se fosse uma acupuntura, clareia e  age prevenindo o escurecimento do melasma.

A aplicação dói? Ocorre um leve desconforto com as micropicadas sobre a pele. Porém, se necessário aplica-se gel anestésico no local antes do procedimento.

Quantas sessões são necessárias?  O resultado geralmente aparece a partir da terceira sessão. Pode ser necessário até 10 sessões, aliado a outros tratamentos e cuidados.

A aplicação pode ser realizada no verão? Sim, é uma ótima alternativa utilizada para controlar e clarear o melasma em épocas de calor. Vale lembrar o Ácido Tranexâmico atua como um anti-inflamatório da pele diminuindo a formação de melanina.

Dra Raquel Vale- Fisioterapeuta Dermato Funcional- Responsável Técnica do Centro de Saúde e Estética Elegance.

 

Melasma: qual filtro solar devo usar?

Sabe-se que o MELASMA não tem cura, mas pode retroceder e ser contido. Para tanto, é fundamental compreender alguns fatores envolvidos com o risco de surgimento do melasma. Neste post vamos abordar sobre o filtro solar.

O que se descobriu atualmente é que, além dos temidos raios ultravioleta (os UVA e UVB) estarem ligados ao aparecimento e a piora do melasma, a luz visível também promove a produção irregular de melanina.

Mas como é que a gente se protege contra o sol e a luz visível?  Com uso frequente e correto de filtros solares. Os filtros têm de ser físicos ou orgânicos, com proteção alta e cor, pois os pigmentos conseguem bloquear a passagem da luz e refleti-la (ou absorvê-la) antes que estimule a pele. Também, precisam ter amplo espectro e proteger das radiações UVA e UVB. O filtro solar deve ser passado em porção generosa, ser cuidadosamente espalhado e repassado a cada três horas.

Lembre-se, não existe filtro especial que proteja da radiação da luz visível e, desse modo, a COR faz-se indispensável, pois bloqueia a luz de lâmpadas artificiais e computadores.

Dra Raquel Vale- Fisioterapeuta Dermato Funcional- Responsável Técnica do Centro de Saúde e Estética Elegance

 

Melasma : novidades e desafios! Congresso Internacional da Academia Americana de Dermatologia- 2017

O melasma é um desafio diário não só para quem tem, mas também para os profissionais que lidam com ele.  Esse tema extremamente complexo, foi muito citado no Congresso Internacional da Academia Americana de Dermatologia em março de 2017. A causa do melasma não está definida, mas com certeza há várias influências, como a  radiação ultravioleta,  predisposição genética,  alterações  hormonais ( gravidez, anticoncepcional)  e  o excesso de vascularização (causa recentemente descoberta).

Com relação aos tratamentos , o uso do ácido tranexâmico continua sendo um dos melhores, devido à sua eficácia, durabilidade e diversas formas de utilização, mesoterapia, o microagulhamento , o laser fracionado de baixa potência e a luz pulsada (que tratam as alterações vasculares).

O ácido tranexâmico  se apresenta em forma de creme, injetável e de uso oral.  Bloqueia estímulos que fazem com que o  melanócito produza mais pigmento, reduzindo respostas inflamatórias cutâneas causadas pela proteína plasmina. Com isso, contribui também para que o tom das manchas existentes não fique mais escuro.

Além disso, começa a se dar muita importância a barreira cutânea, que  é  uma espécie de camada protetora, com a função de  impedir  a penetração de agentes externos na pele. Dessa forma, essa camada retém diversas substâncias nocivas às quais a pele é diariamente exposta. Então, deve-se impedir situações que provoque ressecamento, coceira, vermelhidão e irritação da pele; pois todas essas alterações podem prejudicar o equilíbrio dessa barreira e provocar uma inflamação na pele.

Portanto, prevenção é sempre a melhor forma de evitar o melasma ou, pelo menos, retardar o seu aparecimento!

18361280_10155277921002436_538502726_n (2)

Dra. Raquel Vale Gomes de Carvalho (Fisioterapeuta Dermato Funcional; Crefito:74485-F)

Responsável Técnica do Centro de Saúde e Estética Elegance