Pilates no Pós Parto

Já conversamos anteriormente sobre a importância do Método Pilates durante a gestação, agora falaremos um pouco sobre Pilates no puerpério ou pós-parto (período entre o parto até que o estado geral da mulher volte às condições anteriores à gestação).

Inúmeras mudanças ocorrem no corpo da mulher, durante o período gestacional, tais como: hormonais onde os ligamentos ficam mais frouxos, aumento do peso corporal, as adaptações posturais que ocorrem para melhor acomodar o bebê e principalmente o estiramento da musculatura abdominal, que devido ao crescimento do útero pode ocasionar diástase dos músculos retos abdominais (separação dos feixes dos músculos retos abdominais ao longo da linha Alba), ocasionada normalmente no segundo trimestre da gestação, devido ao aumento de volume abdominal. Este afastamento é considerado normal ou fisiológico quando não ultrapassa 3cm, pois é necessário para acomodar o bebê, porém um afastamento maior que 3cm poderá́ interferir na capacidade da musculatura abdominal para estabilizar o tronco e  manutenção da postura, gerando dores abdominais.

Com a chegada do bebê inicia uma nova fase na vida da mulher, além das mudanças na rotina, as mulheres se preocupam com o corpo e como voltar a exibir suas curvas. Mas é muito importante ter paciência, pois as mudanças não se corrigem espontaneamente após o parto e cada corpo é único. O puerpério tem duração média de 6 a 8 semanas, nas quais as modificações ocorridas no corpo da mulher durante a gestação irão retornando aos poucos, ao estado anterior à gravidez. Desta forma é importante realizar um trabalho postural o mais breve possível, pois o corpo continuará passando por mudanças. Assim, o estímulo para a prática de exercício é importante e podem ser recomendados cerca de 40 dias após o parto normal e 50 dias após a cesariana, se não houver complicações, porém é necessário autorização médica, assim você terá certeza que estará apta para se exercitar.

O método Pilates proporciona diversos benefícios, tais como: Melhora da postura, contribuindo na realização das tarefas impostas, pela nova rotina; fortalecimento abdominal, para proteger a coluna evitando dores lombares; recupera a forma física, fortalece a musculatura, promove sensação de prazer e bem estar e alivia as dores no pós-parto. É uma atividade segura e pode auxiliar a mulher a enfrentar as mudanças desta fase, de forma eficiente através de exercícios elaborados, para a recuperação da mamãe e para que ela possa cuidar melhor do seu bebê.

Morgana Amanda Vequi – Fisioterapeuta, pós graduada no Método Pilates pela PUC-PR(Pontifícia Universidade Católica do Paraná).

Benefícios do Método Pilates em pacientes com dor lombar!

A dor na região lombar, denominada de “lombalgia”, é considerada uma das alterações musculoesqueléticas que mais afeta a população, sendo uma das principais causas de afastamento no trabalho e geradora de incapacidades. A dor lombar está relacionada aos esforços excessivos, má postura, alterações funcionais, movimentos bruscos, sedentarismo, entre outros… devido a um desequilíbrio dos músculos estabilizadores da região lombo-pélvico. Podendo ser classificada em: aguda quando apresentam inicio súbito e com duração inferior a seis semanas, ou crônica quando a lesão já está instalada a mais de três meses.

Desta forma, o método Pilates contribui reduzindo a intensidade de dor e melhorando a função, tendo como principal objetivo: fortalecimento do centro do corpo (CORE), melhorando assim a estabilização da coluna vertebral, aliviando as dores, além de proporcionar um bom condicionamento físico e mental, estimular a circulação, melhorar a flexibilidade, aumentar o controle e consciência corporal, equilíbrio, correção postural e assim, melhorando a qualidade de vida.

Estudos recentes que avaliaram os efeitos do método Pilates no tratamento das lombalgias em adultos apontam efeitos positivos na redução da dor, pois quando se tem dores crônicas, é muito importante exercitar-se, para diminuir os problemas musculoesqueléticos. Portanto a prática constante do método Pilates, pode colaborar para uma significativa diminuição da lombalgia crônica.

 

Morgana Amanda Vequi – Fisioterapeuta – Crefito 10: 165240, Pós-graduada em Método Pilates – PUC PR, Curitiba. Pós-graduanda em ortopedia traumatologia e desportiva – Faculdade Inspirar de Balneário Camboriú.